JL Rodrigues, Carlos Átila & Consultores Associados



Home | Notícias

Planalto sanciona a Lei 12249/10, que dentre outras matérias, cria a LF - Letra Financeira

O Presidente da República sancionou na sexta-feira, dia 11/06,  a Lei nº 12.249, resultado do Projeto de Lei de Conversão da Medida Provisória nº 472/09, que, entre várias outras matérias, cria a LF – Letra Financeira (arts. 37 a 43).

Trascrição abaixo:

"Seção II

Da Letra Financeira e do Certificado de Operações Estruturadas

Art. 37.  As instituições financeiras podem emitir Letra Financeira - LF, título de crédito que consiste em promessa de pagamento em dinheiro, nominativo, transferível e de livre negociação.

Art. 38.  A Letra Financeira será emitida exclusivamente sob a forma escritural, mediante registro em sistema de registro e de liquidação financeira de ativos autorizado pelo Banco Central do Brasil, com as seguintes características:

I - a denominação Letra Financeira;

II - o nome da instituição financeira emitente;

III - o número de ordem, o local e a data de emissão;

IV - o valor nominal;

V - a taxa de juros, fixa ou flutuante, admitida a capitalização;

VI - a cláusula de correção pela variação cambial, quando houver;

VII - outras formas de remuneração, inclusive baseadas em índices ou taxas de conhecimento público, quando houver;

VIII - a cláusula de subordinação, quando houver;

IX - a data de vencimento;

X - o local de pagamento;

XI - o nome da pessoa a quem se deve pagar;

XII - a descrição da garantia real ou fidejussória, quando houver;

XIII - a cláusula de pagamento periódico dos rendimentos, quando houver.

§ 1o  A Letra Financeira é título executivo extrajudicial, que pode ser executado independentemente de protesto, com base em certidão de inteiro teor dos dados informados no registro, emitida pela entidade administradora do sistema referido no caput.

§ 2o  A Letra Financeira pode, dependendo dos critérios de remuneração, gerar valor de resgate inferior ao valor de sua emissão.

§ 3o  A transferência de titularidade da Letra Financeira efetiva-se por meio do sistema referido no caput deste artigo, que manterá registro da sequência histórica das negociações.

Art. 39.  A distribuição pública de Letra Financeira observará o disposto pela Comissão de Valores Mobiliários.

Art. 40.  A Letra Financeira pode ser emitida com cláusula de subordinação aos credores quirografários, preferindo apenas aos acionistas no ativo remanescente, se houver, na hipótese de liquidação ou falência da instituição emissora.

Parágrafo único.  A Letra Financeira de que trata o caput pode ser utilizada como instrumento de dívida, para fins de composição do capital da instituição emissora, nas condições especificadas em regulamento do CMN.

Art. 41.  Incumbe ao CMN a disciplina das condições de emissão da Letra Financeira, em especial os seguintes aspectos:

I - o tipo de instituição financeira autorizada à sua emissão;

II - a utilização de índices, taxas ou metodologias de remuneração;

III - o prazo de vencimento, não inferior a 1 (um) ano;

IV - as condições de resgate antecipado do título, que somente poderá ocorrer em ambiente de negociação competitivo, observado o prazo mínimo de vencimento; e

V - os limites de emissão, considerados em função do tipo de instituição financeira.

Art. 42.  Aplica-se à Letra Financeira, no que não contrariar o disposto nesta Lei, a legislação cambial.

Parágrafo único.  O Banco Central do Brasil produzirá e divulgará, para acesso público por meio da internet, relatório anual sobre a negociação de Letras Financeiras, com informações sobre os mercados primário e secundário do título, condições financeiras de negociação, prazos, perfil dos investidores e indicadores de risco, quando houver.

Art. 43.  As instituições financeiras podem emitir Certificado de Operações Estruturadas, representativo de operações realizadas com base em instrumentos financeiros derivativos, nas condições especificadas em regulamento do CMN."


:: SISTEMA FINANCEIRO

 

:: DESTAQUES



 


:: Busca

NOTÍCIAS

ECB’s Constâncio calls for hard line on ‘non-banks’ 17/10/2017 Leia mais Close to a peak? Reactions to UK inflation figures 17/10/2017 Leia mais Hassett’s flawed analysis of the Trump tax plan 17/10/2017 Leia mais Tenreyro highlights EM crisis experience for BoE role 17/10/2017 Leia mais Germany’s FDP tells Merkel to give up finance post in coalition 17/10/2017 Leia mais Uber, Lyft, take heart from fellow disrupters and gig responsibly 17/10/2017 Leia mais Britain is the party holding Brexit talks back 17/10/2017 Leia mais OECD report highlights need for transition agreement – Hammond 17/10/2017 Leia mais Guest post: Talking to Germans 17/10/2017 Leia mais Xi Jinping consolidates his power in China 17/10/2017 Leia mais UK expected to raise interest rates after inflation hits 3% 17/10/2017 Leia mais Charts of the day, policy divergence edition 17/10/2017 Leia mais Tusk’s EU summit letter sets out plans to accelerate reform 17/10/2017 Leia mais China third-quarter GDP: 4 things to watch 17/10/2017 Leia mais Bitter differences over Nafta break into the open 17/10/2017 Leia mais Election tests Macri’s promise to make Argentina ‘normal’ again 18/10/2017 Leia mais Why Wall Street’s fear index remains calm 18/10/2017 Leia mais Central bankers have one job and they don’t know how to do it 18/10/2017 Leia mais South African inflation rises further than expected 18/10/2017 Leia mais UK wage growth slips even as jobless rate holds 42-year low 18/10/2017 Leia mais Pay squeeze continues for British workers 18/10/2017 Leia mais Daily briefing: China party congress, Rio Tinto fraud charges and Black Monday risk 18/10/2017 Leia mais Disagreements on eurozone reform may produce best outcome 18/10/2017 Leia mais Nigerian bond deal unlikely to herald bright new dawn 18/10/2017 Leia mais Mexico insists reform of Nafta trade deal must suit all sides 18/10/2017 Leia mais


Brasília-DF: SGAS Quadra 902, Conjuto B, Ent. C, salas 222/229 - Ed. Athenas | 70.390-020 | Tel.: (61) 3321.2366
São Paulo-SP: Av. Brigadeiro Faria Lima, 4300 - Torre FL Office - 9° andar, sala 916 |CEP: 04552-040 Fone: +55 11 3571.6857 | +55 11 3571.6859