JL Rodrigues, Carlos Átila & Consultores Associados



Home | Notícias

Planalto sanciona a Lei 12249/10, que dentre outras matérias, cria a LF - Letra Financeira

O Presidente da República sancionou na sexta-feira, dia 11/06,  a Lei nº 12.249, resultado do Projeto de Lei de Conversão da Medida Provisória nº 472/09, que, entre várias outras matérias, cria a LF – Letra Financeira (arts. 37 a 43).

Trascrição abaixo:

"Seção II

Da Letra Financeira e do Certificado de Operações Estruturadas

Art. 37.  As instituições financeiras podem emitir Letra Financeira - LF, título de crédito que consiste em promessa de pagamento em dinheiro, nominativo, transferível e de livre negociação.

Art. 38.  A Letra Financeira será emitida exclusivamente sob a forma escritural, mediante registro em sistema de registro e de liquidação financeira de ativos autorizado pelo Banco Central do Brasil, com as seguintes características:

I - a denominação Letra Financeira;

II - o nome da instituição financeira emitente;

III - o número de ordem, o local e a data de emissão;

IV - o valor nominal;

V - a taxa de juros, fixa ou flutuante, admitida a capitalização;

VI - a cláusula de correção pela variação cambial, quando houver;

VII - outras formas de remuneração, inclusive baseadas em índices ou taxas de conhecimento público, quando houver;

VIII - a cláusula de subordinação, quando houver;

IX - a data de vencimento;

X - o local de pagamento;

XI - o nome da pessoa a quem se deve pagar;

XII - a descrição da garantia real ou fidejussória, quando houver;

XIII - a cláusula de pagamento periódico dos rendimentos, quando houver.

§ 1o  A Letra Financeira é título executivo extrajudicial, que pode ser executado independentemente de protesto, com base em certidão de inteiro teor dos dados informados no registro, emitida pela entidade administradora do sistema referido no caput.

§ 2o  A Letra Financeira pode, dependendo dos critérios de remuneração, gerar valor de resgate inferior ao valor de sua emissão.

§ 3o  A transferência de titularidade da Letra Financeira efetiva-se por meio do sistema referido no caput deste artigo, que manterá registro da sequência histórica das negociações.

Art. 39.  A distribuição pública de Letra Financeira observará o disposto pela Comissão de Valores Mobiliários.

Art. 40.  A Letra Financeira pode ser emitida com cláusula de subordinação aos credores quirografários, preferindo apenas aos acionistas no ativo remanescente, se houver, na hipótese de liquidação ou falência da instituição emissora.

Parágrafo único.  A Letra Financeira de que trata o caput pode ser utilizada como instrumento de dívida, para fins de composição do capital da instituição emissora, nas condições especificadas em regulamento do CMN.

Art. 41.  Incumbe ao CMN a disciplina das condições de emissão da Letra Financeira, em especial os seguintes aspectos:

I - o tipo de instituição financeira autorizada à sua emissão;

II - a utilização de índices, taxas ou metodologias de remuneração;

III - o prazo de vencimento, não inferior a 1 (um) ano;

IV - as condições de resgate antecipado do título, que somente poderá ocorrer em ambiente de negociação competitivo, observado o prazo mínimo de vencimento; e

V - os limites de emissão, considerados em função do tipo de instituição financeira.

Art. 42.  Aplica-se à Letra Financeira, no que não contrariar o disposto nesta Lei, a legislação cambial.

Parágrafo único.  O Banco Central do Brasil produzirá e divulgará, para acesso público por meio da internet, relatório anual sobre a negociação de Letras Financeiras, com informações sobre os mercados primário e secundário do título, condições financeiras de negociação, prazos, perfil dos investidores e indicadores de risco, quando houver.

Art. 43.  As instituições financeiras podem emitir Certificado de Operações Estruturadas, representativo de operações realizadas com base em instrumentos financeiros derivativos, nas condições especificadas em regulamento do CMN."


:: SISTEMA FINANCEIRO

 

:: DESTAQUES



 


:: Busca

NOTÍCIAS

Brexit uncertainty leaves exporter’s plans in limbo 15/02/2017 Leia mais America’s abuse of Mexico is assault on free trade 15/02/2017 Leia mais The failing policies of factory fetishism 15/02/2017 Leia mais Do not blame the euro simply because it’s there 16/02/2017 Leia mais Eurozone set to miss deadline for Greek deal 16/02/2017 Leia mais Complacent investors should heed political risks 16/02/2017 Leia mais Samsung heir arrested; Blair’s Brexit rallying cry; Wikipedia’s army 17/02/2017 Leia mais Manufacturing exceptionalism 17/02/2017 Leia mais The Trump trade gains a more secure footing 17/02/2017 Leia mais Central bank independence is losing its lustre 19/02/2017 Leia mais Asian manufacturing growth hits four-year high 19/02/2017 Leia mais EU targets UK’s €60bn exit bill before trade talks 19/02/2017 Leia mais Technological justice 20/02/2017 Leia mais Eurogroup hails progress with IMF on Greek debt deal 20/02/2017 Leia mais There is a silver lining for emerging markets 21/02/2017 Leia mais HSBC profits plummet, Washington’s tax-code row 21/02/2017 Leia mais Industrial growth: real or chimerical 21/02/2017 Leia mais India’s bold experiment with cash 21/02/2017 Leia mais Engage with Trump, IMF advises Europe’s leaders 21/02/2017 Leia mais Policy uncertainty threatens trade growth, says World Bank 21/02/2017 Leia mais


Brasília-DF: SGAS Quadra 902, Conjuto B, Ent. C, salas 222/229 - Ed. Athenas | 70.390-020 | Tel.: (61) 3321.2366
São Paulo-SP: Av. Brigadeiro Faria Lima, 4300 - Torre FL Office - 9° andar, sala 916 |CEP: 04552-040 Fone: +55 11 3571.6857 | +55 11 3571.6859